SEJAM BEM VINDOS

SEJAM BEM VINDOS

Quando passar por aqui, deixe suas pegadas marcadas num recado.

O dom poético de Severina Branca

 O silêncio da noite é que tem sido 
 Testemunha das minhas amarguras. (Severina Branca)
 Eu e Severina Branca numa tarde regada a poesia, saudade, solidão... De quem tem muita história pra contar e poesia pra encantar.
 
 Da esquerda pra direita: Poeta Antonio Carneiro, Poetisa Severina Branca e Poeta Lima Júnior.


 Sou mulher de sentimento
As duas da madrugada
Levando a chave na mão
Deixando a porta trancada
E uma filha na cama
Sem esperança de nada.

"Severina Branca"


Nenhum comentário: